Advising Guidelines

Some collected wisdom on advising guidelines:
  • Dr A C Frery and Dr F Cribari-Neto have agreed on these guidelines (in Portuguese);
  • Prof Jeff McDonnell also has some suggestions on how to succeed as a research student;
  • Dr R J Cintra's opinions on the matter are roughly compatible with the above and are listed below (in Portuguese).

Randy Pausch's Advices

An important resource is the enlightnening lecture "Time Management" by Randy Pausch. Lecture slides are locally available as a 2.2 Mb PDF file.

Guia de Orientação

Filosofia Geral

  1. Só há ciência onde houver dúvida.
  2. Duvide e critique, mas seja humilde.
  3. Questione, mas também consulte a literatura.

Reuniões

  1. Seja pontual às reuniões.
  2. Venha preparado para as reuniões (perguntas, anotações, gráficos, etc.)
    Anti-exemplos: (i) Não levar seus resultados de modo apresentável a reunião; (ii) Não levar resultados; (iii) Declarar que problemas pessoais sempre lhe atrapalham.
  3. Tome notas das reuniões.
  4. Não procure seu orientador sem um propósito claro.
  5. Participe ativamente das reuniões. O orientador não tem como saber o que você pensa se não falar.
  6. Saia de uma reunião com objetivos claros.

Etiqueta na Comunicação

  1. Sempre comunique-se formalmente.
  2. A menos que lhe seja expressamente dada a liberdade, dirija-se a um professor de modo profissional, i.e., sempre por "Prof". Você não quer ser desrespeitoso.
  3. Não se comunique com seu orientador por celular, SMS, bate-papo. Em termos eletrônicos, use apenas o correio eletrônico.
  4. Há uma etiqueta para se comunicar por correio eletrônico, especialmente com colaboradores seniores.
    (i) Se possui mais de um orientador, sempre escreva a um com cópia (cc:) para o outro.
    (ii) É descortês meramente encaminhar mensagens (forward) sem um texto explicativo.
    (iii) É descortês escrever uma mensagem sem exórdio ou saudação.
  5. Ao receber uma mensagem profissional, responda imediatamente; mesmo que seja apenas para dar ciência que recebeu a mensagem e informar um prazo para uma resposta mais efetiva.

Gerência de Dados

  1. Tenha um endereço eletrônico confiável (e.g., Gmail).
  2. Abra a sua caixa-postal com freqüência; desculpas por "não ter recebido a mensagem" não são adequadas.
  3. Use um programa de backup, sincronismo e compartilhamento de dados (e.g., Dropbox, Amazon S3 via s3cmd, Google Drive, SpiderOak, &c); desculpas por "ter pedido dados" não são adequadas.
  4. Se é vinculado à graduação ou pós-graduação em Estatística da UFPE, então considere usar seu GoogleDrive institucional (@de.ufpe.br), pois ele não tem limite de espaço.

Computação e Tipografia

  1. Domine pelo menos um pacote computacional numérico.
    (i) Recomendo o GNU Octave, Julia, R e/ou a linguagem MATLAB.
    (ii) Não espere que seu orientador lhe ensine a usar um pacote computacional. A rede é rica em tutoriais e manuais. No caso do GNU Octave, a documentação é extremamente ampla e totalmente disponível na rede.
    Para o GNU Octave/MATLAB, um ponto de partida é o seguinte Curso de MATLAB.
    (iii) Durante os cursos, sempre busque simular os teoremas e resultados que estuda.
  2. Recomendo FORTEMENTE que use uma distribuição baseada em GNU/Linux (e.g., Linux Mint) e que saiba escrever scripts em bash.
  3. Domine um bom editor ASCII (e.g., gedit, Geany, Emacs, Bluefish, etc).
  4. A menos que explicitamente requerido, não produza relatórios, rascunhos, manuscritos, etc codificados em formatos proprietários (e.g., doc, xls, etc).
  5. Textos científicos devem ser produzidos apenas em LaTeX (domine esta ferramenta). Um bom tutorial está disponível aqui.
  6. Gerencie sua bibiografia em formato bib (BibTeX). Uma sugestão é usar o aplicativo Jabref. Utilitários extremamente úteis incluem: bibclean e bibtool.

Literatura

  1. Aprenda a usar Google Scholar.
  2. Aprenda a configurar seu navegador de Internet para acessar periódicos de fora da UFPE.

Revisões

  1. Ao receber texto revisado, implemente rigorosamente TODAS as correções.
    Ao revisar, use uma caneta verde para marcar o que já foi corrigido. Todas correções --- sem excepção --- devem ser implementadas.
  2. Retorne o texto revisto o mais rapidamente possível.
    A menos que seja dito o contrário, trabalhar em revisão é prioridade.
  3. Orientandos de sucesso invariavelmente são rápidos nas revisões e aprendem com os erros. Cada revisão é uma aula.
  4. Arquive as revisões para referência futura e aprender com seus erros.
  5. Excepto se dito o contrário, encaminhe seu texto para revisão (i) impresso monocromaticamente, (ii) em coluna simples, (iii) em espaçamento um e meio ou duplo e (iv) com margens amplas.

Linguística e Estilo

  1. A habilidade de bem escrever é parte integrante do bom pesquisador.
  2. Sempre escreva com grande esmero gramatical e ortográfico.
    É rude submeter texto mal-escrito para ser lido por outrem.
    Texto mal-escrito não será apreciado e colocará sua reputação nas trevas.
    Busque a perfeição no que escreve para que tenha orgulho do produto final.
    Tenha um bom corretor automático (e.g., aspell).
  3. Possua uma gramática (inglês e português). Use-a, consulte-a, ame-a.
  4. Use um dicionário eletrônico (e.g., Houaiss, Dictionary.com, etc).
  5. Invista o máximo no domínio do idioma inglês.
    Leia em inglês (Internet, notícias, etc).
    Escreva seus artigos em inglês. Poderá ser ruim no começo, mas melhorará com o tempo.
    Aprenda com seus erros em inglês.
  6. Aprimore seu estilo de escrita. Leia "Mathematical Writing" por D. E. Knuth et al.
  7. Possua um manual de estilo como "The Chicago Manual of Style". Compre um usado em Ebay por menos de cinco dólares. É barato e faz grande diferença.

Publicação

  1. O autor mais sênior decide a ordem dos autores. A princípio, o primeiro autor é aquele que escrever o manuscripto.
  2. O orientador tem a palavra final sobre qual periódico ou conferência será escolhido para submissão do trabalho.
  3. O orientador espera que você forneça várias sugestões de periódicos ou conferências.

Você e Seu Orientador

  1. O orientando deve ter iniciativa e buscar a orientação.
  2. Nunca espere que o orientador se lembre de você. Lembre-se dele.
  3. Deve haver respeito e confiança mútuos.
  4. Trabalhe duro, mas com sabedoria. Horas de suor não necessariamente significam produção.
  5. Sua habilidade aprendida extra-aulas é fundamental.
    Nem só de aula vive o homem.
  6. Espere do orientador (i) inspiração, (ii) fundamentação teórica, (iii) ressonância para suas idéias e (iv) experiência em publicações.
  7. Não espere que seu orientador (i) tenha paciência com seu pouco trabalho, (ii) ensine-lhe o be-a-bá, (iii) dê-lhe o "caminho das pedras".
  8. Quanto mais criativo e produtivo você for, mais retorno terá, bem como atenção e sucesso.
  9. Seja cético das idéias do seu orientador, mas não cruze a linha do respeito.
    O que custa tentar uma idéia? A experiência do orientador não caiu do céu.
  10. E lembre-se: seu orientador não recebe nada a mais por lhe orientar; as únicas coisas que ele solicita são seu trabalho duro e respeito/educação.

Psicologia

  1. Durante o trabalho de pesquisa, haverá altos e baixos.
  2. Durante os baixos, trabalhe duro e com foco. Confie em seu suor e na minha vivência.
  3. Durante os altos, não fique cego com o sucesso. Tenha humildade sempre.
  4. Quando quiser largar tudo, lembre-se que não há vitória sem luta.
  5. Quando quiser matar seu orientador, tente antes se colocar no lugar dele.
  6. Em desespero, leia abaixo:
    "Fortune favors the brave." - Publius Terence
    "Tough times never last, but tough people do." - Dr. Robert Schuller
    "We are what we think." - Buddha
    "Life is either a daring adventure or nothing." - Helen Keller
    "Nothing great was ever achieved without enthusiasm." - Ralph Waldo Emerson
  7. Leia PHD Comics. Você não está sozinho.